Atividades do “Setembro Amarelo” terminam nesta semana

Geral

Notícia publicada terça-feira 26 setembro 2017

Atividades do “Setembro Amarelo” terminam nesta semana

Gostou, compartilhe

No mês de setembro, várias atividades são realizadas para se combater o suicídio e por isso é nomeado de “Setembro Amarelo”. As atividades realizadas tem o intuito de conscientizar e alertar a população sobre sintomas de pessoas com indícios e interesse de cometer o ato. A equipe do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), realizou atividades pelas ruas e escolas levando informação aos palmeirenses. Na quinta-feira (21), a rua central da cidade recebeu a equipe que fez uma enquete no local, baseada na pergunta “Qual é seu problema hoje?”. O intuito desse ato foi estimular as pessoas a conversarem mais e falar sobre suas dificuldades.

Problemas

De acordo com a coordenadora e pedagoga do Caps, Marina Gross, o suicídio acontece pela pessoa enfrentar diversos problemas e ver no termino da vida como solução deles. “Quando a pessoa apresenta níveis de depressão ou problemas que agravam o sistema psicológico do individuo, acelera a vontade de se livrar da vida. Pois crê ser a forma principal de exterminar com a dor que sente. Por isso, falar sempre é a melhor opção”, explica ela.

Já na sexta-feira (22) foi a vez da Escola do Campo Pedro Gross Filho de receber atividade do “Setembro Amarelo”, onde professores e alunos puderam questionar e conversar sobre o assunto com a equipe do Caps em uma roda de conversa.

Para finalizar as atividades será realizado um encontro nesta terça-feira (26), às 8h30, na Praça Marechal Floriano Peixoto com atividade física e posteriormente seguindo para uma caminhada ao longo da rua Conceição. “A atividade física é a melhor forma de levantar a auto-estima e garantir maior satisfação, portanto escolhemos a realização de uma atividade como essa pra garantir uma atividade que cause prazer nos participantes. Sem deixar de chamar atenção pro assunto”, conta.

Além da caminhada será divulgado um vídeo com relatos de pessoas sobre o suicídio no Salão Paroquial.

Fotos: Divulgação/Prefeitura de Palmeira