Conta de energia elétrica deve sofrer redução de 11,5% em junho

Geral

Notícia publicada terça-feira 29 março 2016

Conta de energia elétrica deve sofrer redução de 11,5% em junho

Gostou, compartilhe

A Copel deve reduzir em pelo menos 11,5% a tarifa de energia em junho. A empresa já encaminhou seus contratos para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para iniciar a revisão tarifária que definirá o índice a ser aplicado neste ano. A planilha ainda vai ser analisada pelo Conselho de Consumidores da Copel e pela Aneel e também será debatida em audiência pública em abril. Somente após essas etapas haverá a definição do índice a ser aplicado em 24 de junho.

Além da redução em junho, a conta de luz dos paranaenses também teve redução nas bandeiras tarifárias, cobrança adicional criada pela Aneel no ano passado para compensar o uso de usinas térmicas. As chuvas dos últimos meses e o aumento do nível dos reservatórios contribuíram para que, em fevereiro e março deste ano, houvesse uma redução no valor das bandeiras tarifárias.
Redução das bandeiras

Em vigor desde janeiro de 2015, o sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar ao consumidor o custo da geração de energia no país. As cores das bandeiras (verde, amarela ou vermelha) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de eletricidade.
Desde que o sistema foi criado até janeiro de 2016, estava em vigor a bandeira vermelha, que indica o cenário mais desfavorável, com um acréscimo de R$ 4,50 para cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. Em fevereiro deste ano, a bandeira vermelha foi dividida em dois patamares e foi aplicado o patamar 1, que reduziu para R$ 3 a taxa adicional.
Em março, pela primeira vez começou a vigorar a bandeira amarela, reduzindo ainda mais, para R$ 1,50, o valor cobrado para cada para cada 100 kWh consumidos. Para abril, a expectativa é de que a bandeira passe a ser verde, quando não há cobrança adicional.
Somente a alteração das bandeiras tarifárias de fevereiro a abril deve causar uma redução média de 6% no valor pago na conta de energia neste ano, além da probabilidade da redução em junho com a revisão tarifária da Copel.