Juventude rural quer ficar na agricultura com mais oportunidades

Geral

Notícia publicada terça-feira 30 maio 2017

Juventude rural quer ficar na agricultura com mais oportunidades

Gostou, compartilhe

No dia 27 (sábado) foi realizado em Irati/PR o Encontro sobre Juventude promovido pelo projeto  “ATER Diversificação” em parceria com diversas entidades e instituições que atuam em favor do desenvolvimento rural sustentável. Em mais de 600 jovens dos municípios da região Centro-Sul do Paraná reafirmaram a defesa do protagonismo da juventude na definição dos rumos do País, no fortalecimento da agricultura familiar e no combate aos retrocessos em curso com as reformas trabalhista e da Previdência.

População

Foi aprovada uma carta que tem o seguinte conteúdo que a juventude representa 25% da população do Centro-Sul Paranaense e, assim como os jovens do meio urbano ou de outras regiões brasileiras, ela clama por oportunidades, por mais espaço, voz e vez na família e na sociedade. Essas lutas estão diretamente ligadas à solução de dilemas existentes hoje na produção de economia familiar: a permanência dos jovens nos municípios do interior, a sucessão na propriedade rural e a diversificação produtiva, que agrega inovação e incremento na renda das famílias no meio rural.

“Queremos ter o direito, a capacidade de escolher e o orgulho de permanecer na agricultura, continuando, muitas vezes de um jeito novo e diferente, a profissão e o trabalho dos nossos pais”, diz um dos trechos do documento. “Mas queremos também dizer que não vamos nos acomodar com a realidade que herdamos. Queremos mais. Queremos que seja ainda melhor… Melhores condições de vida, maior acesso a tudo o que representa cidadania e qualidade de vida. Se houver renda mais justa. Se houver mais respeito e maior valorização”, diz o texto.

Integração

Parte significativa das propriedades familiares rurais da região Centro-Sul são dependentes da integração produtiva com as grandes indústrias do ramo alimentício ou com as fumageiras. O tema da diversificação e a troca de experiências baseadas em iniciativas bem sucedidas dos grupos e associações da região impulsionam a juventude rural a projetar alternativas de viabilidade econômica e de autonomia.

Nenhum direito a menos

No manifesto: “somos uma geração que aprendeu com nossos pais e nossos avós que a história se faz com a construção de oportunidades, que a história se faz com teimosia e a resistência às adversidades; que a história se faz com organização e luta”.

Acesso a terra, crédito fundiário, educação com qualidade, produção agroecológica e agroflorestal, assistência técnica e certificação também são algumas das demandas por políticas públicas apontadas pelos jovens do Centro-Sul do Paraná como essenciais para ampliar sua participação na comunidade e garantir a continuidade do segmento na atividade produtiva.

A juventude quer participar ativamente dos sindicatos e das organizações representativas da agricultura familiar, a partir, inclusive, da criação e do fortalecimento de coletivos ou comissões de juventude nessas entidades. A exemplo do coletivo de jovens de São João do Triunfo, organizado há três anos.
Entidades

As entidades que são parceiras/apoiadoras do Projeto de ATER Diversificação na realização do encontro sobre juventude: Instituto de Cooperação da Agricultura Familiar de Santa Catarina (ICAF), Departamento de Estudos Sócio Econômicos Rurais (Deser), Centro de Estudos, Assessoria e Serviços para o Desenvolvimento Sustentável e Solidário (Ceasol), Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf-PR), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná (IFPR), Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO) – Campus de Irati e Coletivo da Juventude de São João do Triunfo.