Paraná tem maior crescimento no setor de serviços do País

Geral

Notícia publicada sexta-feira 16 junho 2017

Paraná tem maior crescimento no setor de serviços do País

Gostou, compartilhe

O setor de serviços do Paraná registrou crescimento de 2,4% em abril desse ano em relação a março, já com ajuste sazonal, mostra a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgada na quarta-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Foi o melhor resultado do País, à frente do Rio Grande do Sul (2,2%), e São Paulo (2%). O crescimento dos serviços do Paraná em abril foi mais que o dobro do registrado pelo Brasil, de 1%, na mesma base de comparação.
No acumulado de janeiro a abril, o volume de serviços no Paraná cresceu 1,5% em relação ao primeiro quadrimestre de 2016, enquanto em todo o Brasil houve queda de 4,9% na mesma comparação.
Setor
“O setor de serviços é conhecido por ser o último a entrar em recessão e também por ser o último a sair dela. Por isso, essa melhora consistente dos números do setor no Estado é tão importante. É um indicativo de que o pior da crise já passou” diz Julio Suzuki Júnior, diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes).
De acordo com a pesquisa, na comparação com abril do ano passado, Paraná foi o único que não registrou queda na atividade. O volume de serviços prestados se manteve estável no Estado, enquanto no Brasil houve retração de 5,6%.
Participação

O setor de serviços responde, sozinho, por 40% do Produto Interno Bruto (PIB) do Paraná. “É um setor que prepondera na maioria das economias desenvolvidas. Aqui, ele é intensivo em mão de obra, principalmente junto à nova classe C, que sofreu muito com a crise econômica nos últimos anos e que agora terá a chance de se recuperar”, diz Suzuki Júnior.
Emprego

O aumento da atividade de serviços já tem reflexo na geração de empregos. No primeiro quadrimestre, o setor foi o que mais criou empregos com carteira assinada no Estado, com a abertura de 11,2 mil vagas, já descontadas as demissões, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho.