Lei aumenta pena de motorista embriagado que provocar morte ou lesões graves

Policial

Notícia publicada domingo 22 abril 2018

Lei aumenta pena de motorista embriagado que provocar morte ou lesões graves

Gostou, compartilhe

Desde quinta-feira (19), começou a valer a lei que amplia as penas para os motoristas que dirigem sob o efeito de álcool ou outras drogas e provocam acidentes de trânsito que resultam em homicídio culposo ou lesão corporal grave ou gravíssima.

A partir de agora, o condutor nessas condições que cometer o homicídio culposo no trânsito (sem intenção de matar) poderá cumprir pena de 5 e 8 anos de prisão. Antes, essa pena variava de 2 a 5 anos de prisão. Quando o crime for comprovado, o motorista também não poderá obter permissão ou habilitação para dirigir veículo novamente.

Lesão corporal

No caso de lesão corporal grave ou gravíssima, a pena de prisão foi ampliada para 2 a 5 anos, antes ela variava entre seis meses e dois anos. Além disso, foi incluída a possibilidade de suspensão ou perda do direito de dirigir.

A lei ainda faz alterações no Código Brasileiro de Trânsito (CBT) e passa a tipificar como crime de trânsito a participação em corridas em vias públicas, os chamados rachas ou pegas.